SMART SUMMIT

IA geral: Podem ultrapassar inteligência humana em três anos

Facebook
LinkedIn
Email
WhatsApp

Indíce

Os avanços nos sistemas de inteligência artificial (IA) estão a ampliar a geração de fotos e vídeos, desafiando a percepção da realidade. Cada vez mais, torna-se complexo discernir entre o artificial e o real. As empresas de tecnologia estão focadas no desenvolvimento da Inteligência Artificial Geral (IAG), com o objetivo de emular o pensamento humano. A data e o responsável por alcançar esse nível tecnológico permanecem incertos.

Segundo Ben Goertzel, matemático reconhecido e fundador da SingularityNET, previu que a inteligência artificial superaria os humanos até 2027. Pois, com a velocidade da evolução tecnológica, sistemas AGI poderiam replicar a cognição humana em três anos.  Ou seja, os bots poderiam alcançar feitos super-humanos em engenharia e ciência.

O cientista é conhecido pela sua visão futurista e capacidade de antecipar o impacto da tecnologia, especialmente da IA, na humanidade. Antes mesmo da explosão da IA generativa, Ben Goertzel alertava para o potencial de a inteligência artificial substituir empregos, como durante a sua participação no Web Summit, em 2017, ao lado do robô Sophia.

O projeto SingularityNET visa tornar a IA mais acessível e democrática, criando uma plataforma para que todos contribuam para o desenvolvimento da tecnologia. Um cientista da empresa acredita que a AGI (inteligência geral artificial) estará disponível nos próximos 3 a 8 anos, inicialmente em nível humano e, posteriormente, numa versão super-humana.

Além disso, ainda prevê que um simples computador poderá igualar a capacidade de um cérebro humano até o final desta década. Por volta de 2029/30, poderemos testemunhar um computador ultrapassando a capacidade de um cérebro humano e, 10 ou 15 anos depois, um único computador terá mais capacidade de processamento do que toda a sociedade humana combinada.

Atualmente existe dificuldades em compreender o crescimento da Inteligência Artificial Geral

Atualmente, os humanos ainda têm dificuldade em compreender o crescimento exponencial da AGI. Uma vez que, os sistemas atuais exigem combinações com novas invenções para avançar. No entanto, haverá um marco significativo quando os bots puderem desenvolver-se e criar versões melhoradas de si mesmos sem intervenção dos desenvolvedores. Essa fase é conhecida como singularidade em inteligência artificial, conforme explicou o cientista ao The Mirror.

Na sua visão, a tecnologia alcançará um ponto em que será capaz de projetar e escrever código para melhorar a si mesma e criar versões subsequentes – a tão falada singularidade tecnológica. Quando isso acontecer, será crucial implementar salvaguardas, já que, as atuais restrições tecnológicas podem não ser suficientemente robustas.

Fonte: SapoTEK

Veja os meus outros artigos aqui.

Patrocinar Smart Summit

Ajude a fomentar o empreendedorismo nos Açores. Deixe o seu interesse e enviamos as condições para patrocinar o Smart Summit

Attendee Smart Summit Lagoa 2024

Não perca a oportunidade e participe no Smart Summit Lagoa 2024. Inscreva-se Gratuitamente!