SMART SUMMIT

Marketing: Going green or Greenwashing?

Facebook
LinkedIn
Email
WhatsApp

Indíce

Marketing tem novos desafios relacionados com as alterações climáticas temos o Going Green e o Greenwashing.

Marketing tem novos desafios relacionados com as alterações climáticas temos o Going Green e o Greenwashing.
Ana Trigo Morais 

Marketing green 

Marketing green está a tornar-se cada vez mais “verde” – e ainda bem! –, mas são ainda muitos os desafios que se levantam e diversas as estratégias que têm sido adotadas.  Algumas delas com origens pouco claras, que podem minar a confiança dos consumidores. 

Apesar disso, há uma diferença entre refletir a responsabilidade social e ambiental de uma marca nas suas campanhas de comunicação e publicidade e evidenciar mensagens sustentáveis dúbias que não se relacionam com a verdade (Greenwashing). Diria que é uma dualidade entre o ser e o parecer, que conduz a externalidades positivas ou negativas, respetivamente, tanto para a reputação das marcas, como para a satisfação dos consumidores e, claro, para o impacto no ambiente. 

Veja-se os dados recentes do Corporate Climate Responsibility Monitor 2023, que mostram que várias das maiores multinacionais não cumprem com os compromissos sustentáveis que assumiram na sua comunicação. Estas práticas induzem os consumidores em erro relativamente às suas decisões de consumo sustentáveis e podem desacreditar iniciativas realmente sustentáveis. Portanto, perdemos todos. 

Opinião de Ana Trigo Morais 

É, por isso, fundamental a regulamentação do Greenwashing empresarial. Não sou apenas eu que o digo. Este é, aliás, um trabalho que tem sido feito e discutido tanto do lado das empresas, como dos atores políticos.”, afirmou Ana Trigo Morais 

A World Federation of Advertisers desenvolveu uma série de orientações que visam assegurar que os claims ambientais apresentados pelas marcas são credíveis, tanto para os consumidores como para os reguladores.  

No entanto, a União Europeia tem atualizado a Diretiva sobre Práticas Comerciais Desleais e a Diretiva sobre Direitos do Consumidor. No sentido de “proteger” as pessoas de práticas comuns de Greenwashing e dotá-las de informação pertinente para uma economia verde.  

O objetivo é comum, permitir aos consumidores tomar decisões de compra informadas e contribuir para um consumo, efetivamente, mais sustentável. 

Outras alternativas para melhorar a sustentabilidade 

Contudo, deve-se sensibilizar as pessoas, promover alternativas sustentáveis, apoiar projetos ou estabelecer parcerias, investir em inovação, promover embalagens mais circulares. Estes são aspetos que, somados e bem comunicados, podem levar a uma mudança de comportamento do consumidor, a longo prazo ou até mesmo, a curto prazo. 

Por fim as marcas e organizações podem ou devem repensar as suas escolhas ao longo de toda a cadeia de valor. Seja nas embalagens, nas fábricas, na cadeia de distribuição, na reciclagem ou nos componentes que integram nos seus produtos, e devem inovar, investigar e colocar no mercado produtos e serviços sob a perspetiva de não comprometer as gerações futuras, refletindo um posicionamento sustentável. 

Gostas da área de marketing? Então vais adorar ler este artigo da Smart Summit: Tendências de recrutamento para a área de marketing 

Fonte: Imagens de marca 

Patrocinar Smart Summit

Ajude a fomentar o empreendedorismo nos Açores. Deixe o seu interesse e enviamos as condições para patrocinar o Smart Summit

Attendee Smart Summit Lagoa 2024

Não perca a oportunidade e participe no Smart Summit Lagoa 2024. Inscreva-se Gratuitamente!