SMART SUMMIT

Modelo Híbrido é a escolha preferencial dos jovens 

Facebook
LinkedIn
Email
WhatsApp

Indíce

De acordo com um estudo da Nova SBE, os jovens talentos prefere novos ambientes de trabalho aos tradicionais. Descubra mais neste artigo. 

Enquadramento do modelo Híbrido em Portugal

Com a pandemia, as empresas sentiram a necessidade de reinventar-se. Esta modalidade já era conhecida em Hong Kong, há mais de 20 anos. Muitas empresas europeias viram entregues a sua gestão a este tipo de modelo, como, por exemplo, o BNP Paribas

A chefe dos Recursos humanos, Sylvie Le Pottier, assegura que este regime consegue que seja possível a gestão de mais de sete mil pessoas de 50 nacionalidades diferentes. Como tal, tornou-se necessário compreender o novo mercado de emprego após a pandemia. Deste modo, surgiu a parceria entre a Nova SBE e o BNP, com o objetivo de entender como podem melhorar o ambiente interno, para os seus colaboradores.

Qual o foco da investigação?

A universidade teve por base a opinião de estudantes, profissionais fora do BNP e, por fim, os colaboradores da empresa. Segundo Pottier, o foco passou por “reimaginar o trabalho”, uma vez que o mundo enfrentou uma pandemia. Deste modo, trouxe muitas mudanças nos talentos dentro e fora do tecido empresarial. Ademais, a mesma ainda acrescenta a importância de compreender as expectativas dos colaboradores, no que concerne a novas formas de trabalho e, ainda, em termos monetários e as relações dentro da empresa.

Quais os resultados deste estudo?

Esta investigação permitiu à equipa de RH implementar uma nova política. A chefe do departamento de RH afirma que “a população jovem procura oportunidades contínuas de crescimento e aprendizagem”. Porém, os jovens desta geração procuram um novo modelo de trabalho.  

Ademais, os jovens sentem a necessidade que as empresas contenham valor partilhado, tais como “sustentabilidade, cuidados com as pessoas, inclusão e que tenham um ambiente de trabalho informal”. Desta forma, estes esperam criar relações duradouras  e, ainda, querem que os seus chefes deem um constante “feedback construtivo sobre o seu desempenho”. Nesse sentido, Pottier afirma que a empresa está a treinar os responsáveis para ir de encontro com as expectativas dos jovens.

Para além disso, o estudo ainda concluiu que “86% dos estudantes” optaram por um “modelo entre a casa e o escritório” e  cerca de 60 % dos jovens profissionais têm a mesma preferência. 

Outra medida que a investigação permitiu implementar passa pela criação de um ambiente de trabalho inovador e interativo. Desta forma, os gestores do BNP Paribas pretendem que quando os seus colaboradores estejam no ambiente do escritório, estes possam ter um meio diferenciador.  E é neste sentido que a empresa está a focar-se, no que diz respeito ao ambiente.

Fonte: Dinheiro vivo.

Já leu o artigo sobre o destaque que a Fidelidade ganhou nos Investor and Innovation Awards 2023? Se quer saber mais, clica aqui!

Patrocinar Smart Summit

Ajude a fomentar o empreendedorismo nos Açores. Deixe o seu interesse e enviamos as condições para patrocinar o Smart Summit

Attendee Smart Summit Lagoa 2024

Não perca a oportunidade e participe no Smart Summit Lagoa 2024. Inscreva-se Gratuitamente!