SMART SUMMIT

Como fazer uma boa gestão de fornecedores?

A gestão de fornecedores é uma atividade relacionada com o gerenciamento da cadeia de suprimentos.
Facebook
LinkedIn
Email
WhatsApp

Indíce

Antes de tudo, gerir fornecedores de forma eficiente e estratégica é essencial para garantir o sucesso operacional e financeiro de uma empresa na área de gestão.

Autoria: Rui Botelho

1. Avaliação inicial dos fornecedores

Contudo, a avaliação inicial dos fornecedores é um passo crucial para garantir que a sua empresa escolha os parceiros mais adequados para atender às suas necessidades. Aqui estão algumas etapas importantes para realizar uma avaliação para os fornecedores:

  1. Identifique as necessidades da sua empresa: Antes de começar a avaliar os fornecedores, é essencial entender claramente quais são as necessidades da sua empresa em termos de produtos ou serviços que serão fornecidos. Isso ajudará a direcionar a sua pesquisa e seleção de fornecedores;
  2. Pesquise no mercado: Realize uma pesquisa detalhada no mercado para identificar os potenciais fornecedores que atendam às suas necessidades. Isso pode incluir pesquisas online, recomendações de colegas do setor, feiras comerciais, entre outros;
  3. Estabeleça critérios de seleção: Defina critérios claros para avaliar e comparar os fornecedores potenciais. Isso pode incluir aspetos como qualidade dos produtos ou serviços, experiência no mercado, capacidade de entrega, reputação, preço, entre outros;
  4. Solicite informações: Entre em contato com os fornecedores potenciais e solicite informações detalhadas sobre os seus produtos ou serviços, experiência, capacidade de produção, referências de clientes, certificações, políticas de garantia, entre outros;
  5. Analise propostas e orçamentos: Analise as propostas e orçamentos fornecidos pelos fornecedores, levando em consideração não apenas o preço, mas também a qualidade, prazo de entrega e outras condições contratuais;
  6. Realize visitas e auditorias: Se possível, visite as instalações dos fornecedores potenciais para avaliar as suas operações, qualidade dos produtos, condições de trabalho e conformidade com as normas e regulamentos.

2. Estabelecimento de parcerias estratégicas

Em outras palavras, o estabelecimento de parcerias estratégicas pode ser uma estratégia poderosa para impulsionar o crescimento e a competitividade de uma empresa. Aqui estão algumas etapas importantes a serem consideradas:

  1. Define os seus objetivos: Antes de procurar por parceiros, é essencial entender claramente quais são os seus objetivos ao estabelecer a parceria. Isso pode incluir expandir para novos mercados, desenvolver novos produtos ou serviços, reduzir custos, aumentar a inovação, entre outros;
  2. Identifique possíveis parceiros: Realize uma pesquisa detalhada para identificar os potenciais parceiros que tenham os recursos, a experiência e a cultura organizacional compatíveis com os seus objetivos. Isso pode incluir empresas do mesmo setor, fornecedores, clientes, universidades, instituições de pesquisa, entre outros;
  3. Avalie a compatibilidade: Avalie cuidadosamente a compatibilidade entre a sua empresa e os potenciais parceiros em termos de cultura organizacional, valores, objetivos estratégicos e expectativas de parceria;
  4. Estabeleça uma comunicação clara: Comunique-se de forma clara e transparente com os potenciais parceiros sobre os seus objetivos, expetativas e o valor que a parceria pode trazer para ambas as partes;
  5. Negocie os termos da parceria: Negocie os termos da parceria de forma colaborativa, buscando criar um acordo mutuamente benéfico e equitativo para ambas as partes. Isso pode incluir aspetos como responsabilidades, recursos para partilhar, metas e indicadores de desempenho.

3. Monitorização de desempenho na área de gestão

Além disso, a monitorização de desempenho é um processo contínuo e sistemático utilizado para avaliar o progresso, em relação aos objetivos estabelecidos e identificar as oportunidades de melhoria. Aqui estão algumas etapas importantes no processo de monitorização de desempenho:

  1. Estabeleça os objetivos claros: Defina objetivos claros e mensuráveis para as áreas ou processos que serão monitorados. Esses objetivos devem ser específicos, alcançáveis, relevantes e mensuráveis;
  2. Identifique os indicadores-chave de desempenho (KPIs): Identifique os indicadores-chave de desempenho que serão utilizados para medir o progresso em relação aos objetivos estabelecidos. Esses indicadores devem refletir os aspetos importantes do desempenho e estar alinhados com os objetivos estratégicos da organização;
  3. Colete dados: Estabeleça sistemas e processos para coletar os dados relevantes relacionados aos KPIs identificados. Isso pode incluir o uso de sistemas de informação, ferramentas de monitorização em tempo real, pesquisas, análise de dados, entre outros;
  4. Analise os dados: Analise os dados coletados para avaliar o desempenho atual em relação aos objetivos estabelecidos. Nesse sentido, identifique tendências, padrões e áreas de oportunidade ou desafio;
  5. Compare com benchmarks: Compare o desempenho da sua organização com benchmarks do setor ou melhores práticas para avaliar a sua posição relativa.

4. Gestão de riscos e continuidade

No entanto, a gestão de riscos e continuidade é um aspeto fundamental que serve para identificar, avaliar e mitigar os riscos que podem afetar a capacidade de uma organização de atingir os seus objetivos e garantir a continuidade das suas operações. Aqui estão algumas etapas importantes no processo de gestão de riscos e continuidade:

  1. Identificação de riscos: Identifique os riscos potenciais que podem afetar a sua organização. Isso pode incluir riscos operacionais, financeiros, legais, regulatórios, de reputação, ambientais, entre outros;
  2. Avaliação de riscos: Avalie a probabilidade e o impacto de cada risco identificado. Isso pode ser feito utilizando técnicas como análise qualitativa e quantitativa de riscos para determinar quais riscos são mais críticos e requerem maior atenção;
  3. Desenvolvimento de estratégias de mitigação: Desenvolva estratégias de mitigação para reduzir a probabilidade e/ou o impacto dos riscos identificados. Isso pode incluir a implementação de controles internos, transferência de riscos por meio de seguros ou contratos, diversificação de fornecedores, entre outras medidas;
  4. Plano de continuidade de negócios: Desenvolva um plano de continuidade de negócios para garantir que a sua organização seja capaz de manter as suas operações críticas e minimizar o impacto de eventos adversos, ou seja, isso pode incluir a identificação de processos críticos, a alocação de recursos de contingência, a definição de responsabilidades e procedimentos de resposta a emergências, entre outros;
  5. Teste e revisão do plano: Teste regularmente o seu plano de continuidade de negócios por meio de exercícios de simulação ou testes de mesa para garantir a sua eficácia e identificar as áreas de melhoria. Além disso, revise periodicamente o plano para garantir que ele permaneça atualizado e alinhado com os riscos e as necessidades da organização.

5. Comunicação aberta e colaboração

Juntamente com a comunicação aberta e a colaboração são fundamentais para o sucesso de qualquer organização, independentemente, do seu tamanho.

Além disso, ao promover uma cultura de comunicação aberta e colaboração, a sua organização estará melhor posicionada para alcançar os seus objetivos, adaptar-se às mudanças do ambiente de negócios e manter uma equipa motivada.

6. Reavaliação e melhoria contínua

Ainda mais, a reavaliação e melhoria contínua são partes essenciais de qualquer processo ou prática em uma organização. Aqui estão algumas etapas importantes para implementar um ciclo eficaz de reavaliação e melhoria contínua:

  1. Estabeleça as suas metas e os seus objetivos claros: Defina metas e objetivos específicos para o processo ou prática que está sendo avaliado;
  2. Dados e feedback: Recolhe os dados relevantes e o feedback de todas as partes interessadas envolvidas no processo ou prática, incluindo funcionários, clientes, parceiros e outras partes interessadas relevantes;
  3. Analise os seus resultados: Analise os dados coletados e o feedback recebido para avaliar o desempenho atual em relação às metas e os objetivos estabelecidos. Identifique tendências, padrões e áreas de melhoria;
  4. Identifique as oportunidades de melhoria: Com a base na análise dos resultados, identifique as oportunidades de melhoria que possam ajudar a alcançar as metas e os objetivos estabelecidos de forma mais eficaz e eficiente.

Conclusão sobre a gestão de fornecedores

Em conclusão, a gestão de fornecedores desempenha um papel crucial no sucesso de uma organização, influenciando diretamente a sua eficiência operacional, qualidade dos produtos ou serviços e a sua reputação no mercado.

Por fim, ao adotar uma abordagem estratégica e proativa para a gestão de fornecedores, as empresas podem mitigar riscos, reduzir custos, impulsionar a inovação e garantir o cumprimento dos padrões de qualidade e ética.

Fonte: Vendus

Gostas da área de inovação? Então vais adorar ler este artigo da Smart Summit:  “Google Sites: Saiba para que serve e como criar sites dentro da plataforma”

Patrocinar Smart Summit

Ajude a fomentar o empreendedorismo nos Açores. Deixe o seu interesse e enviamos as condições para patrocinar o Smart Summit

Attendee Smart Summit Lagoa 2024

Não perca a oportunidade e participe no Smart Summit Lagoa 2024. Inscreva-se Gratuitamente!