SMART SUMMIT

Empresas britânicas testam semana de trabalho de quatro dias

Facebook
LinkedIn
Email
WhatsApp

Indíce

A típica semana de trabalho de cinco dias já se encontra bem integrada na nossa sociedade. De Este a Oeste, de Norte a Sul, cinco dias de trabalho por semana tornou-se a norma. A maioria das empresas, a nível mundial, considera que isto é o “mínimo” para que uma organização tenha uma produtividade e lucratividade elevada. 

Semana de Trabalho de Quatro Dias 

No Reino Unido, já se põe à prova uma semana de trabalho de quatro dias, sem sacrificar lucros e sem reduzir o salário dos seus trabalhadores. Cerca de sessenta empresas britânicas, assim como empresas em Nova Zelândia e Austrália, testam se uma semana assim poderá trazer uma maior produtividade à empresa e, consequentemente, aumentar a felicidade e satisfação no trabalho dos seus colaboradores.  

Durante a pandemia do COVID-19, o teletrabalho tornou-se necessário para prevenir a propagação da doença. Isto fez com que a ideia de obter os mesmos lucros e produtividade, mesmo tendo os profissionais de mercado a exercer a sua profissão através de casa se tornasse uma realidade. Deste modo, inicia-se uma investigação intitulada “4 Day Work Week” que tenta verificar se de facto uma semana de trabalho de quatro dias poderá vir a tornar-se a nova norma. 

Benefícios 

A iniciativa vai para além de conceder apenas mais um dia de folga. Esta visa obter mais lucros para a empresa, uma maior taxa de felicidade nos seus colaboradores e tornar as empresas em organizações mais flexíveis. Os investigadores irão tentar estabelecer novas métricas de produtividade para as empresas integradas no programa. Simultaneamente, irão redefinir o que é, de facto, o sucesso organizacional. 

Programa

O programa, já iniciado no dia um de junho, terá a duração de seis meses. Qualquer empresa interessada poderá participar no programa. As organizações terão ao seu dispor formações e mentores que abordam este tema de uma semana de trabalho mais curta.  

As formações, por exemplo, incluirão eventos virtuais, workshops e recursos digitais disponíveis às empresas participantes. Os mentores, por sua vez, serão indivíduos pioneiros neste formato de trabalho. Irão formar um par com uma empresa participante e auxiliar a mesma no seu caso específico. 

Além disto, estarão, as empresas participantes, integradas numa comunidade, a qual servirá como uma rede de partilha de conhecimentos e experiências. Aquando da creditação das empresas como integrantes no programa, receberão a sua primeira filiação anual de graça. 

Investigação

Estas métricas estabelecidas serão monitorizadas durante o decorrer do programa. Terá um relatório específico da empresa integrada no programa, elaborado após o piloto. As instituições também serão participantes na primeira investigação a nível global em horas de trabalho reduzidas com dados estatísticos sobre o local de trabalho. A informação recolhida nesta investigação será totalmente anónima. 

O longo termo 

Atualmente, as empresas não abrem margem de flexibilidade no seio da sua organização. Existem colaboradores que preferem trabalhar dez horas, quatro dias por semana. Outros talvez prefiram trabalhar a partir das dez da manhã, terminando o seu trabalho às sete da tarde. Um colaborador feliz e satisfeito é um colaborador produtivo e eficiente. Quanto mais produtivo o colaborador, maior lucratividade trará para a empresa. O inverso, não só poderá trazer baixas à taxa de produtividade de uma empresa, como também poderá conduzir ao aumento do turnover numa empresa. Veja aqui as razões principais para o turnover numa empresa

Fonte: UK Pilot Programme

Patrocinar Smart Summit

Ajude a fomentar o empreendedorismo nos Açores. Deixe o seu interesse e enviamos as condições para patrocinar o Smart Summit

Attendee Smart Summit Lagoa 2024

Não perca a oportunidade e participe no Smart Summit Lagoa 2024. Inscreva-se Gratuitamente!